Tipos de violência contra a mulher

01-05-2021

Tipos de violência contra a mulher: você sabe identificá-los?

Entenda quais são os principais tipos de violência contra a mulher e veja como identificá-los dentro de um relacionamento abusivo

 

Os relacionamentos abusivos são caracterizados por diferentes formas e, muitas vezes, podem ser ignoradas, tanto pela própria vítima quanto pela família e amigos.

Um erro comum é acreditar que um relacionamento abusivo começa com um tapa na cara ou, até mesmo, ameaças de morte. Na verdade, a violência pode nunca se manifestar de forma física.

No post de hoje vamos falar mais sobre os tipos de violência contra a mulher que podem ocorrer dentro de um relacionamento abusivo.

 

 

 

Afinal, o que é um relacionamento abusivo?

 

Antes de falarmos sobre os tipos de violência contra a mulher, é importante entender o que é um relacionamento abusivo.

De acordo com a Secretaria de Estado da Justiça, Direitos Humanos e Cidadania do Estados do Amazonas, entre os sinais de um relacionamento abusivo, pode-se verificar:

  • controle psicológico;
  • imposição de comportamentos;
  • monitoramento de ações e de redes sociais;
  • ameaças que podem resultar na violência física ou, até mesmo, feminicídio.

 

No geral, as agressões iniciam-se com palavrões, empurrões e, também, pressão por conta da dependência financeira ou psicológica. Além disso, uma outra característica é que o agressor costuma cometer o abuso e, logo em seguida, pedir desculpas.

Ou seja, o relacionamento abusivo acaba gerando a violência contra a mulher, em uma das seguintes esferas.

 

 

 

Tipos de violências contra a mulher

 

A Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006) prevê 5 (cinco) tipos de violência doméstica e familiar contra a mulher.

 

 

Violência física

 

A violência física é a forma mais visível que um relacionamento abusivo se manifesta. É caracterizada por qualquer conduta que ofenda a integridade ou a saúde corporal (física) da mulher.

 

Alguns exemplos:

  • Espancamento;
  • Atirar objetos;
  • Sacudir ou apertar os braços;
  • Estrangulamento ou sufocamento;
  • Ferimentos causados por queimaduras ou armas de fogo.

 

 

Violência psicológica

 

A violência psicológica é considerada qualquer conduta que cause algum tipo de dano emocional ou gere a diminuição da autoestima.

Além disso, também é considerado este tipo de violência qualquer conduta que prejudique o pleno desenvolvimento da mulher ou vise controlar as suas ações, comportamentos ou decisões.

 

Alguns exemplos:

  • Ameaças;
  • Constrangimento;
  • Humilhação;
  • Manipulação;
  • Proibir de estudar, viajar ou falar com amigos ou parentes;
  • Vigilância constante;
  • Chantagem;
  • Gaslightining: Trata-se de manipular a mulher psicologicamente para ter controle sobre ela, ao ponto de anulá-la, gerar inseguranças, dúvidas e medos. Aqui, o parceiro distorce, omite ou cria informações, fazendo com que a mulher duvide de si mesma, da sua capacidade e, até mesmo, da sua sanidade.

 

 

Violência sexual

 

A violência sexual refere-se a qualquer conduta que constranja a presenciar, a manter ou a participar de relação sexual não desejada, através da intimidação, ameaça, coação ou, até mesmo, o uso da força.

 

Alguns exemplos:

  • Estupro;
  • Obrigar a mulher a fazer atos sexuais que causam desconforto ou repulsa;
  • Impedir o uso de métodos contraceptivos;
  • Forçar a mulher a abortar;
  • Matrimônio forçado;
  • Forçar gravidez.

 

 

Violência patrimonial

 

Já a violência patrimonial é entendida como qualquer conduta que configure retenção, subtração, destruição parcial ou total de seus objetos, instrumentos de trabalho, documentos pessoais, bens, valores ou recursos econômicos.

Alguns exemplos:

  • Controlar o dinheiro;
  • Deixar de pagar pensão alimentícia;
  • Destruição de documentos pessoais;
  • Estelionato;
  • Causar danos propositais a objetos da mulher ou dos quais ela goste.

 

 

Violência moral

 

A violência moral é considerada qualquer tipo de conduta que configure calúnia, difamação ou injúria contra a mulher por seu parceiro.

 

Alguns exemplos:

  • Acusar a mulher de traição;
  • Fazer críticas mentirosas;
  • Expor a vida íntima;
  • Desvalorizar a vítima pelo seu modo de se vestir.

 

 

 

Como identificar um relacionamento abusivo

 

De acordo com o Portal da Prefeitura de Paulista (PE), como é muto comum associar relacionamento abusivo apenas com a violência física, muitas mulheres têm dificuldade de entender que estão vivendo um.

Como foi visto anteriormente, sinais como o excesso de ciúme, destruição da autoestima, ameaças, controle exorbitante, invasão da privacidade, chantagens ou até o uso do dinheiro sem acordo do próprio casal, são sinais que podem identificar o perfil de um agressor.

Além disso, outro ponto que o Portal salienta é que tudo começa com a falta de respeito do agressor para com a vítima.

 

Vamos conhecer outros sinais de um relacionamento abusivo?

 

 

Controle e ciúmes excessivos

 

O controle pode se iniciar quando o parceiro começa a decidir o que a companheira pode ou não fazer ou usar, com a justificativa de que aquilo é o melhor para ela.

O excesso de ciúme está associado ao controle. Além disso, pode gerar diversos problemas, tais como ofensas e perseguição.

 

 

Isolamento

 

Aqui, um argumento muito utilizado é que determinadas amizades são más influências.

Com isso, aos poucos, vai isolando a companheira dos familiares e dos grupos de amigos, aumentando a dependência em relação ao companheiro.

 

 

Destruição da autoestima

 

As críticas acabam se tornando diárias e intensas, chegando a destruir a autoestima da mulher.

Pode chegar ao ponto de fazer com que ela acredite que nenhuma outra pessoa vai amá-la, pois ela não tem qualidades suficientes para ser amada.

Caso você queira saber mais sobre este assunto, fizemos um post sobre Relacionamentos tóxicos.

O relacionamento tóxico é uma relação disfuncional, no qual se observa uma forma assimétrica de se relacionar. Ou seja, há uma tentativa de poder sobre o outro, com a sua subjugação. Não precisa ser, necessariamente, um relacionamento amoroso.

Caso você ache que está passando por um relacionamento abusivo, ou alguém próximo, procure ajuda.

Para denunciar e buscar ajuda para vítimas de violência contra mulheres, ligue 180.

 

Para você continuar se informando, separamos aqui outros 4 (quatro) posts:

Você está em um relacionamento tóxico?

Entenda o Transtorno Obsessivo-Compulsivo: o que é TOC

Transtorno Obsessivo-Compulsivo: os diferentes tipos de TOC

Ansiedade: um guia completo para entender e combater o problema.

 

E para você se manter sempre atualizado e acompanhando as novidades, comece agora mesmo a nos seguir nas diversas redes sociais: Facebook, Instagram e também aqui no Blog Zenfy.