Sintomas de Depressão

21-08-2020

Sintomas de Depressão: você sabe identificar?

Entenda quais os principais sintomas de depressão, alguns números do Brasil e do mundo, além de formas para uma maior prevenção.

 

O Ministério da Saúde define a depressão como um transtorno mental caracterizado por tristeza persistente e pela perda de interesse em atividades consideradas, normalmente, prazerosas.

Além disso, aponta que, dentre os maiores obstáculos para o tratamento, está o estigma social associado aos transtornos mentais.

Assim, esse fator pode contribuir para formas graves da depressão podendo até gerar risco de morte. Para entender alguns aspectos deste transtorno, o post de hoje vai ajudar você a identificar os principais sintomas de depressão.

 

Vamos lá?

 

A própria Organização Mundial da Saúde (OMS) destaca que a depressão é considerada um transtorno mental frequente.

Para ter uma ideia da dimensão deste transtorno, estima-se que mais de 300 milhões de pessoas são afetadas, além de ser a principal causa de incapacidade em todo o mundo.

Nos casos mais graves e extremos, a depressão pode levar ao suicídio.

 

Qualquer pessoa pode ser acometida pelos sintomas de depressão, assim como a depressão no sentido mais grave.

 

Dentre os subtipos da depressão, destacam-se:

 

  • Distimia: É um quadro mais leve, mas crônico. As alterações estão presentes na maior parte do dia, todos os dias, por, no mínimo, dois anos. Na maior parte dos casos, inicia-se na adolescência ou no princípio da idade adulta;
  • Depressão endógena: Caracteriza-se pela predominância de sintomas como perda de interesse ou prazer em atividades normalmente encaradas como agradáveis pelo indivíduo, além de lentidão psicomotora, queixas de esquecimento, perda de apetite e perda de peso;
  • Depressão atípica: Apresenta uma inversão dos sintomas, tais como aumento de apetite e/ou ganho de peso, dificuldade para conciliar o sono ou sonolência, sensação de corpo pesado, dentre outras;
  • Depressão psicótica: É um quadro grave, caracterizado pela presença de delírios e alucinações;
  • Depressão bipolar: A maior parte dos pacientes bipolares inicia a doença com um episódio depressivo, enquanto mais precoce o início, maior a chance de que o indivíduo seja bipolar.

 

 

 

Principais causas da depressão

Quando pensamos nas principais causas que podem gerar os sintomas de depressão, percebemos que os especialistas ainda não apontam para motivos categóricos e únicos.

No geral, percebe-se que grandes traumas ou perdas podem aumentar a chance de um indivíduo ficar depressivo. Além disso, dificuldades de lidar com estresse, baixa autoestima ou pessimismo extremo podem ser fatores contributivos para os sintomas de depressão.

Outro ponto importante é que álcool e drogas também ajudam no desenvolvimento da doença (Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade).

 

Além disso, outros fatores podem contribuir para a depressão nos indivíduos, tais como (Fonte: Ministério da Saúde):

  • Histórico familiar;
  • Transtornos psiquiátricos correlatos;
  • Estresse e/ou ansiedade crônicas;
  • Disfunções hormonais;
  • Dependência de álcool e drogas ilícitas;
  • Mudanças repentinas e traumas psicológicos;
  • Doenças cardiovasculares, endocrinológicas, neurológicas, neoplasias dentre outras.

 

 

 

Principais sintomas de depressão: identificando para superar

Os episódios depressivos não são iguais. Por isso, no geral, categoriza-se um episódio depressivo como leve, moderado ou grave.

Essa categorização está relacionada com a intensidade dos sintomas, como exemplo:

  • Episódio depressivo leve: o indivíduo terá alguma dificuldade em continuar um trabalho, mesmo que simples, e manter as atividades sociais. Porém, não irá apresentar grande prejuízo ao funcionamento global.
  • Episódio depressivo grave: neste caso, é improvável que a pessoa afetada possa continuar com atividades sociais, de trabalho ou, até mesmo, domésticas.

 

Além disso, dentre os principais sintomas de depressão, podemos destacar:

  • Tristeza persistente;
  • Baixa autoestima;
  • Sentimento de culpa;
  • Tendência a chorar por qualquer aborrecimento;
  • Uma maior tendência ao isolamento familiar e social;
  • Falta de motivação;
  • Maior irritabilidade;
  • Distúrbios do sono, como insônia ou hiper sonolência:
  • Em casos mais extremos, impulsos suicidas.

 

 

Sintomas de depressão: é possível combatê-los?

A ajuda multidisciplinar e especializada são fundamentais para o tratamento correto da depressão. Porém, é possível adotar algumas ações que podem ajudar a minimizar os sintomas de depressão, tais como:

  • Adotar uma rotina de exercícios físicos;
  • Dieta saudável e equilibrada;
  • Ter hábitos de sono sadios e regulares;
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas.

 

 

 

Onde encontrar ajuda e apoio

A OMS destaca que, embora existam diversos tratamentos eficazes para depressão, menos da metade das pessoas afetadas (em muitos países, até menos que 10%) recebem tais tratamentos.

E por que existem tais obstáculos? Dentre eles, destacam-se:

  • falta de recursos;
  • falta de profissionais treinados;
  • estigma social associado aos transtornos mentais;
  • avaliação imprecisa por parte dos profissionais.

 

Assim, apesar dos sintomas de depressão terem sido, durante muito tempo, encarados com preconceito, nos últimos anos as políticas públicas brasileiras têm avançado em relação a cuidar das pessoas que sofrem deste transtorno.

São 2.594 Centros de Atenção Psicossocial (Caps) que ofertam acolhimento à pessoa em sofrimento, assim como apoio aos respectivos familiares.

Nesses serviços, a pessoa tem atendimento e, caso seja necessário, é encaminhado para outro serviço especializado da Rede de Atenção Psicossocial (Raps). Em 2018, foram 3,3 milhões de atendimentos nos Caps (Fonte: Ministério da Saúde).

 

Quer saber mais sobre os sintomas de depressão e a depressão? Separamos alguns outros 4 (quatro) conteúdos que, certamente, vão te interessar:

O que é depressão: vamos falar sobre isso?;

Entenda o que é transtorno depressivo;

Ansiedade e depressão: famosos que já passaram por isso;

Como combater a ansiedade através de atividades físicas.

 

E para você se manter sempre atualizado e acompanhando as novidades, comece agora mesmo a nos seguir nas diversas redes sociais: Facebook, Instagram e também aqui no Blog Zenfy.