exemplos de empatia

28-05-2021

Como usar sua Empatia no dia a dia? 9 exemplos práticos e fáceis de aplicar

Listamos 9 situações em que você pode usar a empatia de maneira prática no seu dia a dia, em casa ou no trabalho. Confira nossos exemplos de empatia.

 

Você quer se tornar uma pessoa mais empática?

Ou por acaso quer mandar este post para alguém que precisa desenvolver a empatia?

Bom, se o segundo exemplo for o caso, é bom que você também preste um pouco de atenção no post, pois evitar julgamentos é um bom exemplo de empatia.

Brincadeiras à parte, é bom reconhecer que todos nós, de maneira geral, poderíamos ser mais empáticos.

No nosso post onde explicamos os conceitos do tema, levantamos um dado bem interessante: o Brasil foi considerado o 51º entre 63 países avaliados em um ranking de empatia.

Portanto, é bom ter um carinho com o tema, ou mesmo aceitar que sim, nós podemos fazer um esforcinho para nos colocarmos no lugar do próximo vez que outra.

 

Entendendo a empatia:

 

Empatia não é “entender uma pessoa”. Mas, sim, tentar se colocar no lugar dela, visando uma compreensão mais aproximada do porque ela está agindo de determinada maneira, ou o que está sentindo, compreender suas emoções, enfim.

No post “O que é empatia? Conheça os 3 tipos de empatia” explicamos tudo sobre o tema, incluindo os diferentes tipos de empatia.

Aqui, nosso objetivo é te ajudar na prática, sobre como tentar ser mais empático no dia a dia, demonstrando alguns exemplos didáticos de empatia.

 

9 Exemplos de empatia que você pode colocar em prática HOJE

 

Vamos listar algumas situações de como e onde a empatia pode ser aplicada no nosso dia a dia, seja em casa ou no trabalho.

 

Buscar a perspectiva do outro:

buscar a perspectiva do ouro é um exemplo de empatia

Se colocar no lugar do outro é ver o mundo por uma perspectiva que não é a sua. E isso é um bom exemplo de empatia.

Por exemplo, você está em uma reunião de negócios, e não consegue se acertar com seu cliente, pois tem um detalhe que é muito importante para ele. Ou, passando para o âmbito familiar, quando um de seus irmãos discorda da partilha da herança.

Pergunte-se: porque este detalhe é tão relevante? Ou, o que está levando uma pessoa a agir tão diferente dos outros?

 

Reconhecer as emoções do outro:

recebonhecer as emocoes do outro

Muitos de nós somos guiados pela razão, pela lógica. Já outros tantos, são guiados por emoções e sentimentos. E não existe certo ou errado. Neste sentido, que tal tentar entender as emoções por trás de uma pessoa? E não apenas os seus pensamentos e ações.

Por exemplo: a sua colega de trabalho anda estressada e, de um tempo pra cá, passou a se comportar de maneira grosseira. Se você buscar exercer sua empatia, pode se dar conta de que ela está sobrecarregada, por exemplo. Talvez o seu colega esteja de férias, e ela se sinta frustrada por não conseguir dar o melhor de si.

Pergunte-se: o que me levaria a agir deste jeito? O que levaria esta pessoa a agir deste jeito? O que ela pode estar sentindo?

 

Entender que existem diferentes backgrounds:

diferentes backgrounds

Nem todo mundo estudou no mesmo colégio, na mesma faculdade e teve as mesmas oportunidades que você. E este é um caminho de mais de um lado.

Por exemplo: digamos que você se sentiu desconfortável ao ver que uma mãe andava com o filho de baixo de sol quente, sem proteção alguma, talvez até trabalhando junto com ela. Da mesma forma, você pode estar inconformado com um conhecido que está trabalhando pela primeira vez aos vinte e tantos anos, porque antes ficou viajando pelo mundo.

Pergunte-se: eu estou sendo justo ao julgar aquela pessoa? Será que eu não faria o mesmo no lugar dela? Será que esta pessoa teve as mesmas chances que eu?

 

Se colocar à disposição:

se colocar a disposição é um dos exemplos de empatia

Uma das maneiras de exercer sua empatia, é simplesmente se colocar à disposição.

Exemplo: digamos que o seu colega de apartamento chegou estressado do trabalho, com cara de poucos amigos, até sendo grosseiro com você e os outros. Se coloque à disposição, diga que está aí para essa pessoa, que pode ouvi-la.

Pergunte-se: será que posso ajudar de alguma maneira? Será que esta pessoa conta comigo?

 

Escuta ativa:

se esforçar para escutar o outro

Como vamos ser empáticos sem se esforçar para escutar o que a outra pessoa está dizendo?

Um exemplo (clássico) disso é o do Príncipe William e seu filhinho, o também príncipe George. Existem várias fotos na internet mostrando pai agachado ao lado do filho, fazendo contato visual, demonstrando que eles estão à mesma altura, e que o príncipe pai está disposto a escutar o que o príncipe filho tem a falar, que isso é algo importante.

Portanto, pergunte-se: você está prestando atenção no que a pessoa está dizendo? Você está demonstrando atenção para ela?

 

Lembre de suas experiências pessoais:

experiências pessoais

Quanto mais a gente vive, mais a gente aprende. As suas experiências passadas, suas dificuldades, situações constrangedoras… todo e qualquer desafio que fez você crescer e aprender, pode te ajudar e se colocar no lugar de uma pessoa que hoje passa pela mesma coisa.

Por exemplo: digamos que chegou um estagiário novo na sua empresa, e essa pessoa está passando por sérias dificuldades. Nunca pisou em um ambiente corporativo na vida, não sabe nem o que é um contracheque, muito menos domina as demandas que ela precisa fazer. Quem um dia já passou por momentos assim, já contou com a ajuda dos outros para aprender, pode usar sua própria experiência para entender o sentimento do outro.

Pergunte-se: como eu reagi quando passei por uma situação parecida? O que eu senti? Como seria bom se alguém me ajudasse naquela ocasião?

 

Aceitar que uma pessoa pode querer o bem, de um jeito diferente de você

todos querem o bem

Vivemos em um mundo que se encontra dividido em dois. Homens x Mulheres; Direita X Esquerda; Time A x time B; Até o Big Brother é capaz de dividir as pessoas. O fato de uma pessoa pensar diferente de você, não significa que ela quer o mal.

Exemplo: você está conhecendo melhor um colega de trabalho, e, depois de um tempo você descobre que esta pessoa votou no candidato que é o arqui-inimigo do seu. Em um primeiro momento, você até pensa em se distanciar, mas aos poucos se dá conta que aquela pessoa é humana igual a você, ela têm apenas uma opinião ou ponto de vista diferente do seu.

Pergunte-se: porque esta pessoa escolheu este caminho? Quais as vantagens que ela enxerga?

 

Não julgar

não julgar é um exemplo de empatia

Embora julgar seja algo quase automático, exercer este julgamento é questão de autocontrole e empatia.

Por exemplo: você está caminhando com um amigo e ele joga um papel de lixo no chão. Em um primeiro momento você pode pensar mal dele, chamá-lo de “porco” ou coisas do tipo. Mas aos poucos você se dá conta que ele não teve a mesma estrutura familiar que a sua, ou que ele não teve alguém que o ensinou o básico.

Pergunte-se: a pessoa fez aquilo por mal?

 

Buscar se comunicar de maneira clara, sincera e transparente

comunicação clara e transparente

Outro expemplo de exercer sua empatia, é preocupar-se com o receptor da mensagem. É tentar garantir que a mensagem que você quer passar seja transmitida de maneira clara, sem ruídos, entrelinhas, ou dupla interpretação.

Por exemplo: digamos que você está chateada com uma colega de trabalho, porque ela se comunica nas reuniões de uma maneira que dá a entender que os créditos das ações da equipe são todos dela. Uma das formas de resolver este problema é através da comunicação não violenta, que tem como objetivo tornar os sentimentos de ambos os lados mais transparentes.

Outro exemplo: digamos que você está com muito trabalho, mas precisa delegar uma tarefa para a sua equipe. Se você passar toda a informação necessária, de maneira clara, a margem de erro será uma. Se você apenas pedir algo imaginando que a pessoa deve entender todo o contexto, a margem será outra.

Pergunte-se: eu estou sendo sincero comigo mesmo no que estou falando? Eu passei o meu real sentimento, o meu real problema na minha mensagem? Passei toda a informação necessária para que o que eu pedi seja cumprido? Eu fui claro, ou estou esperando que alguém interprete o que eu falei?

 

Entender o outro lado, ou se mostrar aberto para tanto, é fundamental para dar um próximo passo seguro e ajudar as pessoas, ao invés de julga-las.

Um comportamento empático pode fazer a diferença na vida de quem está ao seu lado, enfrentando problemas práticos ou mesmo mentais.

 

Continue se informando:

Se você gostou deste texto, também pode gostar de outros artigos que publicamos aqui no Zenfy:

 

O que é empatia? Conheça os 3 tipos de empatia

30 frases que você pode escutar em um relacionamento tóxico

O que é responsabilidade afetiva?

O que é um relacionamento abusivo: veja celebridades que já passaram por isso

 

 

E para você se manter sempre atualizado e acompanhando as novidades, comece agora mesmo a nos seguir nas diversas redes sociais: Facebook, Instagram e também aqui no Blog Zenfy.