Síndrome de Burnout

15-04-2020

Entendendo a Síndrome de Burnout

Entenda o que é a síndrome de Burnout, suas principais causas e sinais, além de dicas para evitá-la.

 

O momento que estamos vivenciando de pandemia devido ao coronavírus acaba inserindo mais uma variável sobre os trabalhadores que, muitas vezes, já se encontram numa situação de vulnerabilidade com a sua saúde mental e física. E um dos distúrbios que pode acometer os colaboradores e está relacionado com o ambiente profissional é a Síndrome de Burnout. Por isso, no post de hoje vamos entender um pouco mais sobre essa Síndrome, assim como formas para evitá-la. Vamos lá?

Para o Ministério da Saúde, a Síndrome de Burnout ou Síndrome do Esgotamento Profissional é um distúrbio emocional e gera uma exaustão extrema, além de estresse e esgotamento físico. Esse quadro é resultante de situações e ambiente de trabalho desgastantes que, muitas vezes, demandam muita competitividade ou responsabilidade.

Assim, a Síndrome de Burnout é um distúrbio psíquico que é caracterizado pelo estado de tensão emocional e estresse provocados por condições de trabalho desgastantes.

A Síndrome de Burnout está incluída na 11ª Revisão da Classificação Internacional de Doenças (CID-11) como um fenômeno ocupacional. Ela encontra-se descrita no capítulo “Fatores que influenciam o estado de saúde ou o contato com os serviços de saúde”, que inclui razões pelas quais os indivíduos entram em contato com serviços de saúde. A definição de Burnout na CID-11 é: Burnout é uma síndrome conceituada como resultante do estresse crônico no local de trabalho que não foi gerenciado com sucesso e é caracterizada por três dimensões:

  • sentimentos de exaustão ou esgotamento de energia;
  • aumento do distanciamento mental do próprio trabalho ou sentimentos de negativismo relacionados ao próprio trabalho;
  • redução da eficácia profissional.

 

Além disso, é importante destacar que a Síndrome de Burnout se refere especificamente a fenômenos no contexto ocupacional e não deve ser aplicada para descrever situações relacionadas em outras áreas da vida (Fonte: OPAS Brasil, 2019).

 

Principais causas

Muitas vezes a principal causa do distúrbio é o excesso de trabalho e algumas características do próprio contexto profissional. Além disso, a Síndrome de Burnout também pode acontecer quando determinado profissional recebe objetivos de trabalho muito difíceis e sente que não tem capacidade suficiente para os cumprir. Além disso, outras causas mais comuns:

  • Ambientes com excesso de cobrança;
  • Alto volume de trabalho;
  • Excesso de responsabilidades;
  • Pressão constante;
  • Excesso de conflitos com colegas de trabalho.

 

Obviamente que muitos profissionais passam por uma ou mais situações descritas anteriormente. Isso não significa que todo profissional que passa por estas situações irá desenvolver a Síndrome de Burnout, pois a intensidade das situações pode causar diferentes reações, assim como a individualidade de cada pessoa gera reações em relação às adversidades de maneira diferente.

 

frase há momentos em que você precisa escolher entre virar a página ou fechar o livro

 

Quais são os principais sinais da Síndrome de Burnout?

A Síndrome de Burnout envolve alguns sinais, como nervosismo, sofrimentos psicológicos, além de problemas físicos, tais como dor de barriga, cansaço excessivo e tonturas. Outros exemplos de sintomas e sinais:

  • Cansaço excessivo, físico e mental;
  • Dor de cabeça frequente;
  • Alterações no sono;
  • Dificuldades de concentração;
  • Sentimentos de incompetência;
  • Isolamento;
  • Dores musculares;
  • Sudorese;
  • Alteração nos batimentos cardíacos.

 

Uma outra característica é que, normalmente, esses sintomas e sinais surgem de forma branda, mas tendem a piorar com o passar dos dias. Para evitar problemas mais sérios, é fundamental buscar apoio profissional assim que notar qualquer sinal.

 

Como é feito o diagnóstico da Síndrome de Burnout e as principais formas de tratamento?

O diagnóstico da Síndrome de Burnout é realizado por profissional especialista após análise clínica do paciente. Tanto o psiquiatra quanto o psicólogo são os profissionais de saúde indicados para identificar o problema, assim como orientar a melhor forma do tratamento, conforme as particularidades de cada caso.

 

Principais tratamentos

O tratamento da Síndrome de Burnout é feito, basicamente, com psicoterapia, mas a depender do paciente, é possível que o profissional de saúde recomende também o uso de medicamentos.

Além disso, também são recomendadas mudanças nas condições de trabalho, além de mudanças nos hábitos e estilos de vida como, por exemplo, a prática de atividade física regular, assim como exercícios de relaxamento que ajudam aliviar o estresse e controlar os sintomas da síndrome.

 

Prevenindo a Síndrome de Burnout

A melhor forma de prevenir a Síndrome de Burnout é através de ações que diminuam o estresse e a pressão no trabalho. Outras formas que ajudam a prevenir a Síndrome de Burnout:

 

A Síndrome de Burnout tem se tornado mais evidente a cada ano. É necessário que as empresas criem um ambiente saudável para os seus colaboradores, tanto do ponto de vista físico como emocional. Também é importante que os indivíduos e colegas se mantenham atentos aos pequenos sinais iniciais antes que haja agravamento da situação. Quanto mais cedo a Síndrome de Burnout foi identificada e diagnosticada, é melhor. Quer saber mais sobre o assunto? Temos um outro conteúdo que vai te interessar muito “Estresse no trabalho: origens e cuidados”. Mantenha-se sempre atualizado seguindo-nos através do Facebook, do Instagram ou através do Blog Zenfy.