cyberbullying no brasil

19-02-2021

Cyberbullying no Brasil: depoimentos, dados e os principais casos

Listamos alguns dos principais casos de cyberbullying no Brasil. Conheça o cenário do bullying virtual no país e assista depoimentos de quem já passou por isso.

 

Seguindo nossa série de textos sobre bullying e cyberbullying, hoje vamos nos aprofundar no cenário prático nacional. Vamos mostrar exemplos reais, de como o problema vem assombrando a vida de inúmeras crianças, jovens e até adultos país afora.

Ao final do post, listamos alguns depoimentos de famosos e pessoas comuns, relatando como enfrentaram e superaram situações de ataque e exposição virtual. Algo que, como você vai ver, infelizmente não se repete em todos os casos.

 

 

 

Antes de mais nada, um resumo: qual a diferença entre bullying e cyberbullying?

 

Nas últimas semanas escrevemos uma série de conteúdos sobre ambos os temas em nosso blog e no Instagram @Zenfyapp.

Se você quer entender os conceitos com mais profundidade, recomendamos a leitura:

O que é bullying escolar e as principais consequências

Entenda o que é cyberbullying e como pode afetar a saúde mental das vítimas

 

Mas, em resumo, de acordo com a Lei n° 13.185/2015, o bullying consiste em “todo ato de violência física ou psicológica, intencional e repetitivo que ocorre sem motivação evidente, praticado por indivíduo ou grupo, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de intimidá-la ou agredi-la, causando dor e angústia à vítima, em uma relação de desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas”.

Já o Cyberbullying, é sobre como o bullying acontece no ambiente digital. Trata-se da “intimidação sistemática pela rede mundial de computadores, usando a internet para depreciar, incitar a violência, adulterar fotos e dados pessoais com o intuito de criar meios de constrangimento psicossocial”.

 

 

O cyberbullying na visão de uma criança:

 

Tanto o bullying quanto o cyberbullying não são temas “unânimes” no que diz respeito a sua relevância e seriedade. Ainda encontramos alguns adultos com certa resistência, encarando uma situação que pode terminar em tragédia como uma simples briga de criança.

Por isso, nós adoramos este TED Talk da Sofia Casacio Ferreira Beraldo. Nascida em 2008, ela mostra a sua visão sobre o tema, apontando dados e dicas para superar a situação.

Achamos um jeito “fofo” de abordar o assunto e ainda assim mostrar sua seriedade. Aqui está:

 

 

 

O cenário no Cyberbullying no Brasil

 

Se você é daqueles que ainda questiona o bullying no Brasil, o tratando como um exagero ou “coisa de americano”, temos alguns dados que podem mudar sua opinião.

  • De acordo com o Ministério da Educação, pelo menos um em cada dez estudantes brasileiros é vítima de bullying.
  • Já esta pesquisa do Fundo das Nações Unidas para Infância (Unicef), aponta o Brasil como o quarto país com maior prática de bullying no mundo.
  • Nesta mesma pesquisa, 37% dos respondentes (brasileiros) afirmaram já ter sido vítimas de cyberbullying.
  • Ainda no levantamento da Unicef, 36% dos adolescentes brasileiros informaram já ter faltado à escola após ter sofrido cyberbullying de colegas de classe. O Brasil é o país com a maior porcentagem nesse quesito.

 

 

 

Os casos mais famosos de cyberbullying no Brasil

 

Ao longo dos últimos anos, presenciamos inúmeros casos de cyberbullying no Brasil e no mundo.

Os acontecimentos que ganham mais relevância, naturalmente são aqueles que envolvem pessoas famosas. Mas a internet sabe ser cruel. Escondidos atrás de memes, humor questionável, e perfis fakes, usuários de todas as redes sociais são responsáveis por expor e atacar inúmeras pessoas em momentos de fragilidade.

Aqui vamos listar alguns que tiveram maior repercussão na mídia nacional.

 

 

Personalidades famosas que já sofreram bullying nas redes sociais:

cyberbullying bruna marquezine preta gil viviane araujo

Em um país que exalta a cultura do corpo perfeito, dos padrões, as mulheres estão cada vez mais vulneráveis ao cyberbullyng. No caso das famosas, quanto maior o alcance, cresce também a probabilidade de lidar com os ataques.

E os motivos das críticas são desnorteadores. Basta listar estes três casos para ter uma ideia:

  • Bruna Marquezine foi atacada por ser “magra demais” após postar algumas fotos em seu perfil no Instagram.
  • Já Preta Gil, recebeu inúmeros comentários depreciativos por postar fotos de biquíni “acima do peso”.
  • Enquanto isso, Viviane Araújo, estava “velha demais”, segundo alguns comentários em sua postagem no instagram.

Leia mais sobre os casos nesta reportagem.

 

 

A Lei Carolina Dieckmann

lei Carolina Dieckmann
Globo / Estevam Avellar

Um dos casos mais famosos de ataques virtuais envolveu a atriz Carolina Dieckmann. Ela teve seu celular invadido por hackers, que compartilharam suas fotos íntimas na internet.

A relevância do caso foi tamanha, que acabou resultando em uma Lei Federal de combate aos crimes virtuais.

Em vigor desde 02/04/2013, a lei prevê “multa e detenção de seis meses a dois anos para quem invadir dispositivo informático alheio, ligado ou não à internet, violando sistema de segurança com o intuito de obter, adulterar ou destruir dados ou informações sem autorização expressa do titular do dispositivo”.

Recomendamos este artigo que fala sobre o caso.

 

 

O ataques à menina Julia Gabriele

 

O caso da menina Julia Gabriele evidencia como o humor na internet pode assumir um lado extremamente cruel.

Com apenas 12 anos, a estudante teve suas fotos expostas em páginas de humor no Facebook, sendo alvo de ofensas (disfarçadas de brincadeiras) relacionadas aos seus pelos faciais.

Como se não bastasse, Julia ainda passou a receber fotos de instrumentos cortantes, pinças e aparelhos de depilação em seu perfil no Twitter.

Antes de apagar sua conta, ela fez um apelo:

Print-Twitter-Julia-gabriele
Tweets de Julia Gabriele -Foto: Reprodução / Twitter @JuliaGabriele

 

 

O outro lado do meme

 

Em 2012, o adolescente Nissin Ourfali viralizou na internet após um vídeo de seu Bar Mitzvah ser postado no Youtube. O vídeo é uma versão da música “What makes you beautiful”, do grupo One Direction.

O caso rendeu uma disputa jurídica entre o Google e a família do garoto, que pede que a empresa retire de todos os seus servidores os vídeos que mostram o garoto.

 

 

Um final trágico

 

Em 2013, a jovem Júlia Rebeca, de 17 anos, teve um vídeo íntimo seu compartilhado nas redes sociais. O caso teve um final trágico, resultando no suicídio da jovem, anunciado por ela mesma nas redes sociais. Leia mais aqui.

 

 

 

Depoimentos de quem já sofreu com cyberbullying

 

O bullying virtual é uma situação extremamente delicada. É preciso ter força, apoio da família, da escola, e até mesmo de profissionais, para superá-lo.

Como falamos em nosso artigo sobre ansiedade generalizada, uma das melhores ferramentas para conseguir passar por um problema como este é conversando com pessoas que já enfrentaram uma situação parecida. Afinal, só quem vivenciou o bullying tem a real dimensão desta dor.

Por isso, separamos alguns depoimentos e entrevistas de pessoas (anônimas e famosas) sobre sua experiência com bullying e cyberbullying.

 

 

Nesta entrevista no programa Altas Horas, a jovem Isabela Nicastro conta como foi sofrer com o cyberbullying na época da escola:


Em um papo super corajoso, Isabela conta que passou a sofrer bullying em sua nova escola devido suas notas altas. A garota teve uma comunidade criada com sua foto, nomeada de “Odiamos a Naja”, além de um fotolog com fotos suas manipuladas e tópicos com ofensas contra ela.

 

 

Neste vídeo, a Youtuber Júlia Eliza relata tudo o que sofreu com bullying durante a juventude:


Em um vídeo emocionante e de coração aberto, Júlia conta que chegou a apanhar na escola. O motivo: estar acima do peso. É um relato forte, que mostra como os jovens conseguem ser cruéis na época da escola, além de abordar assuntos como cyberbullying e o efeito de nossos comentários tanto em conversas ao vivo quanto nas redes sociais.

 

 

Anitta respondendo haters do Twitter


Este vídeo leva um tom bem humorado. Mesmo assim, vale para entender como as redes sociais são palco para comentários absurdos e sem nenhuma preocupação com quem está do outro lado.

 

 

Depoimento de um hater confesso:


Achamos este vídeo muito interessante, pois expõe o lado do agressor. O psicólogo Diego Novak conta sobre seus ataques virtuais contra antigos colegas de colégio. No vídeo, ele se defende, afirmando que seus atos foram motivados pelo bullying que ele mesmo sofria na época da escola. Ou seja, apresenta o bullying (em sua versão virtual) como uma bola de neve, que gera cada vez mais ódio, ofensas e ataques.

 

Você sofre ou conhece alguém que está sofrendo qualquer tipo de bullying?

Entre em contato com seus responsáveis ou autoridades. Denuncie!

Lembre-se: A vítima nunca é culpada. É importante cuidar da saúde mental para evitar consequências mais graves em nosso bem-estar.

 

Se você quiser continuar lendo mais sobre autoconhecimento e qualidade de vida, separamos aqui 5 posts que podem te interessar:

Relacionamento abusivo: o que é, características e como reconhecer

Ciúmes: o que é esse sentimento e como afeta o bem-estar da pessoa

Sintomas de Burnout: como reconhecê-los

9 dicas de motivação pessoal

O que causa ansiedade?

 

Mantenha-se sempre atualizado e acompanhe as nossas novidades. Comece agora a nos seguir nas redes sociais: Facebook, Instagram e também aqui no Blog Zenfy.