coronavirus ansiedade dos colaboradores

19-03-2020

Coronavírus: como combater a ansiedade entre os colaboradores?

Veja como apoiar os colaboradores durante a pandemia de coronavírus, combatendo a ansiedade da equipe.

 

Desde a Reforma Trabalhista de 2017 (Lei 13.467/2017), muitas empresas intensificaram a discussão sobre o trabalho remoto para seus funcionários, seja de maneira integral ou parcialmente. Mas com o agravamento da pandemia do coronavírus (Covid-19), muitas organizações foram surpreendidas e, por força das circunstâncias, adotaram o home office. Essa adoção foi totalmente inesperada e com pouco planejamento, tanto por parte das empresas como por parte dos seus colaboradores.

 

Por isso, em períodos onde existem mais perguntas do que respostas, é importante fazer a reflexão do impacto desta mudança e tentar dirimir o excesso de ansiedade das equipes.

 

No post de hoje vamos refletir como as organizações (e os líderes) podem ajudar a combater a ansiedade entre os seus colaboradores.

 

Como os colaboradores veem suas organizações durante a pandemia?

Apesar das fontes oficiais dos governos serem a fonte mais credíveis para a disseminação de informações (como o Ministério da Saúde), um Relatório Especial  do Trust Barometer 2020 sobre o  coronavírus nos traz dados surpreendentes.

  • 63% das pessoas acreditam em uma informação quando esta é comunicada pelo empregador, enquanto 58% acreditam em uma informação quando esta é comunicada pelo website do governo;
  • 42% dos entrevistados no Brasil acreditam que o empregador está bem preparada para o surto do Covid-19, contra 35% que acredita que o país é a instituição mais bem preparada;
  • 47% têm a expectativa que seu empregador adote, temporariamente, o trabalho remoto.

 

Ou seja, esta pesquisa demonstra claramente a confiança que grande parte dos trabalhadores têm em seus empregadores, inclusive para adotar práticas sensatas e corretas durante esta pandemia, assim como a credibilidade em transmitir informações importantes.

 

Home office e trabalho remoto: o que é preciso entender?

Um dos pontos que causa dúvida entre os funcionários é se essa “migração” temporária para o home office será implementada, de fato, pelas empresas com o retorno das atividades normais. Por isso, é importante entender o que fala a lei.

 

No Brasil, trabalho remoto e home office são coisas distintas. A Lei 13.467/2017 define teletrabalho (ou o trabalho remoto) como a prestação de serviços preponderantemente fora das dependências do empregador, com a utilização de tecnologias de informação e de comunicação que, por sua natureza, não se constituam como trabalho externo. Além disso, é importante destacar que tal prática precisa estar prevista no próprio contrato de trabalho.

 

Já a atual situação na qual muitos funcionários estão trabalhando em regime de home office é uma situação pontual exigida pela circunstância de pandemia do Covid-19 e, por isso, estão realizando as atividades da sua própria casa. Porém, o local de trabalho contratual continua sendo a empresa. Assim, o home office é um trabalho realizado a partir de casa de maneira pontual.

 

Ações que as organizações podem adotar para combater a ansiedade entre os seus colaboradores

Como foi visto na pesquisa, há grande expectativa dos colaboradores em relação às empresas nas quais trabalham, assim como em relação aos seus líderes durante a pandemia do coronavírus. Por isso, separamos aqui 3 (três) dicas práticas do que as empresas podem adotar para tentar minimizar a ansiedade das suas equipes.

 

Informação

Uma forma de combater a ansiedade entre os colaboradores é ter um fluxo de informação extremamente transparente e ágil. A empresa vai adotar home office? Teve algum caso positivo de Covid-19 entre os funcionários? Se a empresa irá continuar funcionando, quais as práticas que estão sendo implementadas para evitar a disseminação do coronavírus dentro da organização? Muitas vezes o que pode causar ansiedade é a falta de informação oficial por parte da empresa e, então, começam a ser divulgadas paralelamente as fake news. Os colaboradores precisam confiar que a empresa tem uma política clara de disseminação de informações durante este momento de pandemia. Porém, cuidado: excesso de informação também pode causar ansiedade. Organize o fluxo de informação para um disparo diário e opte por mensagens simples, sem muitos rodeios, com uma linguagem clara. Mas tenha cuidado na escolha das palavras e evite mensagens alarmantes.

 

Plano de Contingência

Antes do agravamento da pandemia, todos os setores tinham seu planejamento e estavam executando seus cronogramas. Com tal mudança repentina, é importante que os líderes de cada área, em sintonia com a diretoria, verifiquem que ajustes serão feitos. É importante que o líder de cada área defina quais são as ações prioritárias no momento e informe isso, de maneira clara, para a equipe. Assim, refazer o planejamento, adaptando os planos é essencial.

 

Ferramentas tecnológicas

Como muitos colaboradores mudaram suas rotinas e, atualmente, estão trabalhando de casa, verifique quais ferramentas estão disponíveis para a realização de reuniões remotas e divulgue entre os funcionários. É importante que as empresas ajudem neste momento de transição, mesmo que seja algo de caráter temporário. Além disso, estimular que o trabalho em equipe continue acontecendo. Para operacionalizar essas reuniões, a sugestão é Google Hangouts e Whereby, que são ferramentas bem interessantes de comunicação.

 

As empresas estão aprendendo com este momento, trazendo flexibilidade para as suas rotinas. E cuidar do bem-estar dos seus colaboradores, em todos os sentidos, é fundamental.  Temos uma outra sugestão de leitura muito interessante: “Coronavírus: controlando a ansiedade diante do desconhecido”.  Mantenha-se sempre atualizado seguindo-nos através do Facebook, do Instagram ou através do Blog Zenfy.