Transtorno de Ansiedade Generalizada TAG

31-12-2019

Ansiedade generalizada: o que é TAG, sintomas e tratamento

Também conhecido como TAG, o Transtorno de Ansiedade Generalizada atinge inúmeras pessoas. Saiba como identificar, quais os sintomas e como funciona o tratamento.

 

A ansiedade é um sentimento que nos acompanha durante a vida. Em níveis funcionais, ela pode até ser positiva. Pois é um incentivo, um impulso, para que a gente se prepare para atingir objetivos mais difíceis. Antecipando algumas coisas, conseguimos nos preparar para situações adversas com mais facilidade.

Por outro lado, quando falamos de transtornos como o da Ansiedade Generalizada, o cenário é bem diferente. Trata-se de uma aflição excessiva que acompanha uma pessoa constantemente, sem tréguas. E este problema é mais comum do que você imagina: estima-se cerca de 2 milhões de casos por ano no Brasil. Nos Estados Unidos o índice é ainda maior, atingindo mais de 6,8 milhões de adultos.

Assim como outros Transtornos de Ansiedade, o TAG exige compreensão tanto de quem sofre com isso, quanto de seus amigos e familiares. É muito comum acharmos que a pessoa pode sair dessa sozinha, a qualquer momento. Da mesma forma, é igualmente corriqueiro ver o próprio indivíduo recusar acreditar que tem um problema, evitando buscar ajuda. Mas aceitar o TAG como uma doença, com tratamento específico, é uma das chaves para viver livre de seus sintomas.

 

O que é o Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)?

 

O TAG é um Transtorno de Ansiedade recorrente. Segundo o Manual de Diagnóstico de Estatística dos Transtornos Mentais, podemos identificá-lo como uma ansiedade ou preocupação excessiva, que o indivíduo considera muito difícil de controlar. E quando falamos em excessivo, nos referimos a dois fatores:

1 – Este sentimento está presente na maioria dos dias da semana, em diversos eventos, situações e atividades;

2 – Por um período de pelo menos 6 meses

Além disso, a constante preocupação e ansiedade que caracterizam o transtorno são acompanhadas por pelo menos 3 dos seguintes sintomas adicionais:

  • Inquietação ou sensação de estar com os nervos à flor da pele
  • Fatigabilidade
  • Dificuldade em concentrar-se ou sensações de “branco” na mente
  • Irritabilidade
  • Tensão muscular
  • Perturbação do sono (dificuldades em conciliar ou manter o sono, ou sono insatisfatório e inquieto)

 

Sintomas

O Transtorno de Ansiedade Generalizada também pode apresentar outros sintomas. Eles variam conforme a pessoa, visto que em muitos casos o TAG é acompanhado de outras doenças psiquiátricas, como depressão.

Como falamos anteriormente, o paciente sofre para controlar seus sentimentos de ansiedade. E isso pode vir acompanhado de queixas como dores musculares, nervosismo e irritabilidade. Outros sintomas também são frequentes:

  • Mãos frias e pegajosas
  • Boca seca
  • Palpitações
  • Aperto no peito
  • Dificuldade para respirar
  • Dificuldade para engolir (nó na garganta)
  • Desconcentração
  • Dor de cabeça
  • Aumento da pressão arterial
  • Taquicardia
  • Náusea e diarreia

Além disso, também podem ser encontrados sintomas de outros transtornos, como Ataque de Pânico, Fobias, e outras condições associadas ao estresse.

 

Diagnóstico: como saber se eu tenho TAG

Você viu todos os sintomas que listamos anteriormente? Bom. Agora tudo o que você NÃO vai fazer é se auto diagnosticar, ou diagnosticar alguém. Mesmo que se trate de uma condição psiquiátrica com uma combinação de sintomas, somente um profissional estará capacitado para um veredito preciso.

Como já falamos, e repetimos, o TAG pode vir acompanhado de outros transtornos, o que torna ainda mais importante a consulta de um psicólogo ou médico psiquiatra. Fora que os medicamentos no tratamento exigem prescrição e acompanhamento profissional.

Dito isto, o diagnóstico do Transtorno de Ansiedade Generalizada leva em conta o histórico médico e psiquiátrico do paciente, acompanhado de uma avaliação criteriosa.

Identificando os sintomas, o médico avalia o paciente com uma série de perguntas sobre o seu histórico, seguida por um exame clínico. Além disso, também podem ser incluídos alguns exames laboratoriais, buscando possíveis outras causas físicas para os sintomas. A importância de uma avaliação mais detalhada se dá justamente para não confundir com os diagnósticos de outras doenças psiquiátricas.

 

O que causa o Transtorno de Ansiedade Generalizada:

Ainda não é possível dizer com precisão o que causa o TAG. Muitas questões podem estar associadas. E, dependendo do caso, descobrir as origens pode inclusive fazer parte do tratamento.

Um dos fatores por trás do desenvolvimento de uma ansiedade generalizada pode ser inclusive genético. Estudos indicam que pessoas com histórico da doença na família apresentam mais chances de enfrentá-la. Além disso, a origem do TAG por vezes é associada ao funcionamento anormal de células nervosas que conectam regiões cerebrais específicas, envolvidas no pensamento e na emoção.

Mas os fatores ambientais podem contribuir, e muito, para o seu desenvolvimento. Por ambiente, entenda o meio social em que a pessoa está inserida. Eventos traumáticos, abusos, violência, assédio, estresse no trabalho, e até mesmo o uso excessivo de drogas e álcool.

 

Tratamento

O tratamento para o Transtorno de Ansiedade Generalizada normalmente envolve uma combinação de psicoterapia e medicamentos.

A Psicoterapia mais comum nestes casos é a terapia cognitivo comportamental. O objetivo é proporcionar uma reinterpretação das experiências do paciente. Reconhecer em que aspecto os pensamentos podem estar distorcidos, obter um melhor controle dos pensamentos e modificar o comportamento.

Quanto aos medicamentos, o tratamento pode envolver uma combinação de ansiolíticos e antidepressivos. Vale lembrar que somente médicos podem prescreve-los. Alguns destes medicamentos podem proporcionar uma melhora quase imediata. Em contrapartida, alguns não devem ser ingeridos por muito tempo, pois podem causar dependência. Ao obter uma melhora no quadro, com a autorização médica, o tratamento farmacológico pode ser encerrado gradualmente.

Como forma de acompanhamento, práticas como ioga, meditação e outros exercícios respiratórios podem contribuir para uma melhora no tratamento. Esse tipo de exercício proporciona autoconhecimento e ajuda a manter equilíbrio entre corpo e mente.

 

Meu familiar tem TAG, e agora?

O tratamento do TAG pode ser de responsabilidade do paciente. Mas isso não quer dizer que os familiares e amigos próximos não possam contribuir de alguma maneira. Falamos isso, porque muitas vezes temos o entendimento errado da doença. E alguns comportamentos que achamos que ajudariam, por vezes acabam atrapalhando.

 

Aqui vão algumas dicas:

 

– Comentários otimistas como “já vai passar” nem sempre são bem recebidos. Pode dar a entender que você está desmerecendo a crise, como se fosse simples passar por isso. A intenção é ótima, mas nem sempre o que se fala tem o efeito planejado.

 

Não subestime. Quando se olha uma situação do lado de fora, é comum ter uma visão prática e achar que é fácil resolver. Principalmente porque podemos não estar emocionalmente envolvidos. Portanto, tente usar a empatia e buscar entender minimamente o que se passa na cabeça da pessoa. Além disso, comentários como “é hora de reagir” podem funcionar como reforço negativo, fazendo a pessoa se sentir ainda mais fraca.

 

Seja paciente. O tratamento da ansiedade generalizada pode envolver altos e baixos. Talvez ontem seu amigo/familiar estivesse em um dia ótimo. Mas isso não quer dizer que o mesmo vai valer para agora. Se você convidou essa pessoa para sair e ela não topou, diga que está tudo bem, e que outro dia vocês podem fazer isso de novo.

 

Neste artigo encontramos uma série de dicas muito legais dedicada a amigos e familiares de pessoas com TAG. Recomendamos a leitura.

 

Eu tenho Transtorno de Ansiedade Generalizada, e agora?

Bom. Se você JÁ SABE que sofre de TAG, significa que já consultou um médico e foi diagnosticado. Portanto, o primeiro passo, e o mais importante, já foi dado. Caso você desconfie que sofre com isso, reforçamos a importância de buscar ajuda profissional.

Em todo caso, achamos importante falar abertamente sobre o assunto. Os transtornos de ansiedade ainda são alvos de tabus e nem sempre são compreendidos. Por isso, finalizamos este artigo com relatos no YouTube de pessoas que já sofreram com TAG.

Entender como outras pessoas passaram por este problema pode ser de grande ajuda para enriquecer o seu tratamento (lembrando que cada caso é um caso). No mínimo, isso vai contribuir para o desenvolvimento da sua empatia. O mesmo vale para amigos e familiares. Eles podem assistir também.

 

Neste vídeo, a psicóloga Bia Jicomine compartilha sua visão de paciente após enfrentar o transtorno de Ansiedade Generalizada.

 

 

Aqui, Michel Felipe fala sobre como é enfrentar o problema.

 

 

Neste vídeo, Láiza de Oliveira fala sobre os sintomas que fizeram ela procurar ajuda e descobrir que sofria com Ansiedade Generalizada.

 

 

Sinta-se a vontade para compartilhar sua experiência nos comentários!

 

Gostou deste conteúdo?

Então siga o Zenfy no Facebook e Instagram! Receber dicas que vão te ajudar a viver mais feliz e tranquilo. Conteúdo semanal, descomplicado e com embasamento científico.

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Zenfy (@zenfyapp) em