comer menos frutas e vegetais pode causar ansiedade

05-03-2020

Alimentação: comer menos frutas e vegetais pode causar ansiedade?

Pesquisa realizada no Canadá indica que pessoas que comem menos de três porções de frutas e vegetais por dia têm mais chances de sofrer com distúrbios de ansiedade.

 

A ansiedade pode estar presente em diversos momentos do nosso dia, da nossa vida. E, assim como ela se reflete em boa parte de nossas escolhas, o caminho contrário também acontece.

Quando buscamos táticas para reduzir nossos sintomas de ansiedade, é muito comum encontrar dicas como ter uma alimentação mais saudável, ou praticar exercícios físicos. Como bons seres humanos, desenvolvemos uma capacidade enorme de buscar meio de justificar aquilo que não queremos aceitar.

Se você faz parte do time que coloca este tipo de soluções lá no final da lista, pois não gosta de comida saudável e nem de exercícios, temos uma notícia que pode te convencer do contrário. Uma pesquisa recente, publicada no Canadá, indicou que pessoas que comem menos frutas e vegetais, tem mais chances de apresentar distúrbios de ansiedade. Então, respondendo a pergunta do título do post: tudo indica que sim!

Mas, de certa forma, a gente já sabia disso, não é? Assim sendo, embora a pesquisa apresente dados que chamem a atenção, isso não indica que a gente precise esquecer a pizza no congelador e nunca mais assar aquela delícia. Tudo é uma questão de encontrar equilíbrio, aceitar suas escolhas e balancear. Vamos aos dados da pesquisa.

 

Pesquisa canadense indica que quem come menos frutas e vegetais, tem mais probabilidade de apresentar algum distúrbio de ansiedade

A pesquisa que estamos falando foi divulgada no Canadá, em fevereiro de 2020. Liderada por pesquisadores da Universidade Politécnica de Kwantlen, na Colúmbia Britânica, o estudo usou como base os dados de mais de 26 mil homens e mulheres, entre 45 e 85 anos, que foram coletados no Estudo Longitudinal Canadense sobre  Envelhecimento.

O objetivo principal da pesquisa não era ligar a ansiedade à alimentação. Mas sim, comparar a presença dos transtornos de ansiedade entre adultos canadenses e os estrangeiros que moram no país. Também foram analisadas variáveis como gênero, renda e estado civil.

O “achado” de maior impacto da pesquisa, foi o fato de que, entre os adultos e idosos participantes, aqueles que comiam menos de 3 porções diárias de frutas e vegetais, tinham pelo menos 24% mais chances de estarem diagnosticados com algum tipo de transtorno de ansiedade.

 

Como a alimentação influencia na ansiedade

Alguns de vocês podem estar pensando: “mas espera aí, o que vem primeiro, o ovo ou a galinha?”

Afinal, se a pesquisa mostra que pessoas que comem menos frutas e vegetais tem mais chances de serem diagnosticados com ansiedade, também podemos achar que as pessoas se alimentavam desta forma justamente porque tinham ansiedade.

Voltando ao que falamos nos primeiros parágrafos, nós, humanos, temos uma incrível habilidade de analisar os fatos do jeito que mais nos convém. Os próprios pesquisadores reforçam a ideia de que o caminho alimentação/ansiedade é real.

É o que afirma Jose Mora-Almanza, co-autor do estudo realizado. Segundo ele, os resultados relacionados às frutas e aos vegetais podem estar associados a outro dado da pesquisa: entre os participantes com níveis de gordura corporal acima de 36%, a probabilidade de apresentar algum transtorno de ansiedade aumentava em mais de 70%.

Karen Davison, autora líder da pesquisa, reforça: “o aumento da gordura corporal pode estar associado a maiores inflamações. Pesquisas recentes sugerem que alguns distúrbios de ansiedade podem estar relacionados à inflamação”.

 

Outros resultados da pesquisa:

A pesquisa indicou que os índices de transtornos de ansiedade entre imigrantes no país eram de 6,4%, contra 9,3% entre os nascidos no Canadá. Mas falando de maneira mais global, selecionamos 4 outros dados interessantes da pesquisa.

  • Ansiedade x Gênero: 1 em cada 9 mulheres canadenses sofriam com algum transtorno de ansiedade. Entre os homens, a proporção reduz para 1 a cada 15;
  • Ansiedade x Estado Civil: 7,8% das pessoas que moram com o seu parceiro/parceira tem algum transtorno de ansiedade. Entre as pessoas que sempre foram solteiras, o índice cai para 3,9%;
  • Ansiedade x Renda: pessoas com renda inferior a $20mil por ano (aprox. $ 1700/mês), apresentavam o dobro de chances de sofrer com algum distúrbio de ansiedade;
  • Ansiedade X Problemas crônicos de saúde: 16,4% das pessoas com três ou mais problemas crônicos de saúde também apresentavam algum transtorno de ansiedade; Entre os participantes sem problemas crônicos, o número cai para 3%.

 

Como se alimentar melhor e reduzir a ansiedade:

Como tudo que envolve ansiedade, aceitar é um passo muito importante. E o sentido desta palavra é amplo:

  • Aceitar que alimentos saudáveis vão te fazer bem; e que você pode comer pizza quando quiser;
  • Aceitar que as atividades físicas também influenciam no seu bem estar emocional; e que se hoje você quiser ficar em casa vendo Netflix, também tá tudo bem.

A grande questão é começar de alguma forma. E a melhor maneira é aquela que melhor se adequa a você. Aqui vão algumas ideias:

  • Coma frutas no café da manhã e na sobremesa
  • Inclua verduras e legumes no seu prato aos poucos
  • Experimente e varie! O mundo está cheio de frutas e vegetais, com certeza você irá encontrar uma que te agrade
  • Siga canais de alimentação saudável no YouTube e no Instagram (e procure se informar porque estas pessoas decidiram adotar uma alimentação saudável – a estética nem sempre será a resposta)
  • Procure por “docinhos’ saudáveis
  • Vá a um restaurante vegetariano sempre que puder
  • Procure algum tipo de atividade física que te agrade: Yoga e pilates são ótimas escolhas
  • Faça um combinado: alimentação e exercícios! E faça uma coisa levar a outra
  • Manere no café, bebidas alcoólicas, carboidratos refinados e gordura saturada
  • Recompense as suas conquistas alimentares com uma boa pizza. Aos poucos, até ela pode ficar mais saudável!

 

Como está a sua alimentação? Nossos amigos do Ciência Fitness tem um ótimo artigo sobre dieta saudável.

Fica o convite para ler nosso artigo completo sobre ansiedade, explicamos quais os tipos de transtorno, os tratamentos e dicas para reduzir os sintomas no seu dia a dia.